terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Ano Bom


Que no Novo Ano as pessoas possam sorrir mais;
Que aprendam que o único remédio para os males do mundo é o amor ao próximo. O respeito.
Que dias novos tragam consigo esperança, para aqueles que esqueceram que ela existe;
Que dentro do coração das pessoas brote, todos os dias, uma flor, que é pra mostrar a elas que cada manhã é um recomeço.
Que todos ganhem um novo amigo. Porque só um, sendo de verdade, é o sufuciente.
Que todos tenham . Tenham força. Tenham coragem, para lutar pelos seus objetivos.
E que, nem que seja só de vez em quando, todos possam fechar os olhos do corpo e enxergar com os da alma. É que assim, é mais fácil ver a beleza das pequenas coisas da vida.

Um ano novo cheio de cores e magia a todos.
Um beijo.
Júh. ")

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Ela quer Bem

Porque ele chegou devagar.
Tomou conta de tudo e foi iluminando aos pouquinhos as salas escuras de um coração antes desabitado.
Lá no coração dela, ele foi fazendo um jardim. Plantou uma flor de cada vez, que era pra ela não ficar assustada.
Ela nem notou a ousadia dele, mas quando percebeu, haviam lírios, orquídeas, margaridas, girassóis, violetas...flores de todas as cores. E ela gostou do que viu.
Todas as noites, ele a segurava pela mão e a levava para conhecer as estrelas que se escondiam lá no céu.
Mostrava a ela todas as constelações. Passeavam ao redor dos planetas e viajavam através das galáxias.
Foi aí que eles passaram a sonhar juntos. É que assim o sonho não deixa de ser sonho.
E agora ela tá felizquesó.
Mas ela tá feliz não só porque ele está sempre por perto, mas também porque ele resolveu morar no coração dela e cuidar do jardim que plantou.
Porque aos pouquinhos, ele tá aquecendo tudo lá dentro com o calor que vem dele e principalmente porque depois de tanto tempo, ela voltou a sonhar colorido...



quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Dos desejos


Que os bons ventos que o Natal me trouxe, encham o coração de todos de paz, alegria, amor e muito..muito sonho.

Feliz Natal, é o que desejo a todos que acompanham os meus Devaneios..")

Bju,
Júh.

domingo, 20 de dezembro de 2009

...


"Enquanto meus braços não são capazes de te alcançar
Contento-me com a certeza de que estamos sob o mesmo céu, e com a chance de estares olhando para a mesma estrela que eu."

(Lucas Silveira)

sábado, 19 de dezembro de 2009

...

"Eu vou dar o meu desprezo
Pra você que me ensinou
Que a tristeza é uma maneira
Da gente se salvar depois."
(Cazuza)



Do que encheu o coração dela de cores


Os olhos, os abraços, os sorrisos, o pôr do sol, as músicas, as palavras, as estrelas..
E assim, no coração dela ele fez um carnaval.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Pra sarar quem se gosta


Colocou suas asas, apanhou sua varinha e voou. Precisava ir rápido.
Era caso de urgência.
A magia de hoje era diferente, era pra acabar com a dor dele. Dor que deixava ela um pouco triste também. É que o sorriso dela é mais bonito quando ele sorri junto.
Abriu o velho livro que guardava no fundo da gaveta e procurou, nas suas páginas já amareladas, a receita da poção que precisava. Sabia que ela estava lá..em algum lugar...
'Poção pra sarar quemsegosta'. Era essa.
Concentrou-se enquanto misturava tudo. Não podia errar, a dor estava judiando dele. Ela tinha que ser rápida.
Dissolveu cristais de bem querer em um sorriso. Juntou a isto, uma pitada de pó de felicidade e três colheres de sonho. Acrescentou ainda, duas gotas do perfume dos lírios e uma colher de carinho. Pra finalizar, aqueceu tudo em um abraço e pôs em um frasco que fechou com um beijo. Estava pronta. Era só voar depressa e deixar até ele.
Ela o encontrou dormindo. Gotejou sua poção devagar, e de olhos fechados, desejou com fé que ele melhorasse logo. Sacudiu sua varinha e deixou que um pó fino de estrelas caísse com leveza sobre ele. Pronto. Agora era só esperar.
Antes de ir embora, ela o olhou novamente. Gostou de vê-lo dormindo.
Ele parecia sonhar.
Então, ela se despediu abraçando-o com o coração, e batendo suas asas de borboleta, voou para longe dali. Lá de cima, ela ainda pode perceber, graças ao brilho que vem dele, que sua presença fizera com que um leve sorriso surgisse no rosto daquele que ela querbem..

Cantarolando...

"A gente não percebe o amor, que se perde aos poucos sem virar carinho.
Guardar lá dentro o amor não impede, que ele empedre mesmo crendo-se infinito.
Tornar o amor real é expulsá-lo de você
Pra que ele possa ser de alguém..."

(Nando Reis)

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Com os olhos do coração


Lá de onde ela pode ver as estrelas, as lembranças bailam em sua cabeça.
A culpa disso é da falta que ela sente de ver ele com os olhos do corpo, porque com os da alma, ela o vê todas as noites.
Ela sabe que como um legítimo Apanhador de Estrelas, ele pode observá-la sempre que quiser. Isso acontece porque lá de cima, ele enxerga melhor. Joga seu pó azulado no vento que é pra iluminar tudo e aumentar a nitidez. É que o pó faz tudo que ele toca brilhar mais bonito.
Ela fecha os olhos, tenta, faz força, mas ainda assim não pode vê-lo de perto. A imagem é sempre meio turva, confusa.
Aí ela sonha. E no sonho ele aparece. Fica ali do lado dela. Ela consegue até encostar a cabeça no ombro dele e contar o que vem de dentro.
Só que o sonho vai embora logo, e junto com ele a imagem daquele que ela gosta de ter por perto (mesmo que de longe).
Embora sinta falta dele, ela sabe que de alguma forma o Apanhador sempre está lhe vigiando. Assim como ela usa a magia dela pra cuidar dele também, sem que ele nem perceba.
Saudade ela sente.
Enxergar com a fé nem sempre é o bastante.
Mas quando se gosta de alguém que mora nas estrelas, tem-se que aprender a viver de sonho, a sentir com a alma e a ver com os olhos do coração...

Ela sorri


Porque do coração dela, ele tá fazendo um jardim...

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Pra você.

Foi ela quem o achou.
Ele estava disfarçado de poema, e foi justamente por causa do disfarce que ela gostou dele.
Depois que descobriu onde ele se escondia, ela sempre conseguia um tempinho pra ir até lá, saber qual o novo disfarce dele. Ela gostava das fantasias que ele vestia. Eram bonitas de ver.
Um dia, ele descobriu o lugar de sonho dela. E então, não deixou mais de visitá-la. E foi aí que os caminhos deles começaram a se cruzar, e ela acredita que isso não foi à toa.
Embora ele estivesse distante, em cada conversa que tinham, ela o sentia mais perto.
Com ele, ela fez poesia mesmo sem saber fazer isso.
Pra ele, ela fez magia pra tentar levar coisa boa até o coração dele.
Foi ele quem a ensinou o verdadeiro significado de 'fé' .
À ele, ela envia abraços apertados que são entregues pelo vento todos os dias.
Antes dele, ela não acreditava que duas pessoas que nunca tinham se olhado pudessem ser amigas.
Ele ensinou pra ela que amizade é muito mais que estar perto...
E hoje é aniversário dele.
Ela deseja que ele esteja rodeado pelas pessoas que mais ama (principalmente aquela amiga que faz festa no coração dele). Deseja que a vida dele seja colorida e que os sonhos dele tenham sempre gosto de coisa boa.
Ela fecha os olhos e pede com toda força que tem no coração que ele consiga mais, porque ela acredita nele e tem fé que ele pode voar ainda mais alto. O presente dela não ficou pronto a tempo (o que não quer dizer que ele não vá chegar) mas esse foi o jeito dela de dizer o quanto ele é especial.
Mas lá dentro ela tem um desejo guardado.
O desejo, que um dia, em um dos muitos aniversários que ele ainda vai comemorar, ela possa entregar pessoalmente um abraço de Feliz Aniversário.

Parabéns, querido Tamagotchi.
Felicidades é o que te deseja com força a sua querida Borboleta ").
Como vc diz: Que nossa amizade virtual siga em frente, enquanto durar a vida ou a Internet...")
Ah!! E não esquece de fazer um pedido antes de apagar a velinha, tá! ;D
Bjos..

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Um Presente


O texto abaixo foi dedicado a mim, por um dos meus melhores e mais doces amigos.
Presente este, que só confirmou o que sempre digo: Palavra bonita e carinho recebido são os melhores presentes do mundo, porque dão asas ao nosso coração e enchem os nossos olhos de cores...

Obrigada, Petit
querido.

'Depois

Depois que a tempestade passa

A minha tempestade
Vejo uma flor que resistiu

É ela que desabrocha ainda mais linda, ainda mais resistente
A iminência de mais uma manhã
de sorriso largo de jeito descontraído singelo e com o cheiro que só eu sinto.
Não era o mesmo cheiro em meio a tempestade.

Até pensei que não fosse conseguir,
mas ela me acompanha.
Ainda está aqui.

É ela que eu tenho.
E passei a sentir o dia mais bonito.'

*ela - petite

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

...


'Ela acreditava em anjos e, porque acreditava, eles existiam.'

*Clarice Lispector

...


"Tudo que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve..."

*Martha Medeiros

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Só um sonho


Fazia tempo que ela não sentia gosto de nuvem na boca. Ela nem lembrava mais como que ele era; se tinha gosto de uva, de morango ou de suspiro.
Lembrou que era de suspiro.
Foi ele quem ajudou ela a lembrar. Foi ele quem encheu o pote dela com moedas de ouro e colocou no rosto dela um sorriso que há tempos não aparecia. Ele a fazia voar de vez em quando.
Embora ela tentasse de todo jeito continuar com os pés colados no chão, o brilho que vinha dele ofuscava os olhos dela, fazendo com que ela se distraísse, e quando menos esperava, lá estava ela, nas estrelas de novo.
Ela gostava que ele a levasse pela mão até lá. Mas tinha medo.
Tem medo. Só que às vezes nem liga. Voa.
E é bomquesó voar com ele.
Mas ela tem medo. E o medo pode fazer ela cair lá de cima.
'Tenha bons pensamentos'
, ela aprendeu com Peter (o Pan), só que às vezes é difícil...e se ela cair?
Ele nem segura. Porque desaparece logo que ela abre os olhos.
'Como pode alguém que é feito de sonho parecer tão real?' Pensa ela..
Vai ver ele é real mesmo, só é sonho pro coração dela...

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Tá Bom.


Então a gente faz magia só de vez em quando...

domingo, 29 de novembro de 2009

Amiga


Liga não.
Bola pra frente; que nem tem gente por aí que gosta de dizer.
Talvez ainda não fosse a hora de ver o arco-íris.
Botoem você.
Jajá você vai estampar nos olhos e no coração a alegria de sempre.

"Cada um pode com a força que tem
Na leveza e na doçura de ser feliz.."

sábado, 28 de novembro de 2009

Do que Ele sonhou junto com Ela


Foi quando fechou os olhos, depois de admirar os presentes que guardava com carinho em sua caixinha de cristal, que ela foi ao encontro do Apanhador de Estrelas.
Era durante a noite que ela podia enxergá-lo melhor. A pele dele era deveras esbranquiçada, falta do calor solar, seu corpo esguio era até engraçado a se movimentar, sua elegante cartola, sempre a cobrir seu rosto, e seu casaco brocado com fios de esmero, completavam sua indumentária; por fim, sua bengala e seu estandarte. Um olhar mais cuidadoso perceberia que, ao passar, ele esparramava um pó azulado que coletava nas encostas das estrelas.
Ela se aproximou dele devagar, e o convidou para acompanhar ela em uma viagem até as estrelas...é que ela gostava de ir lá de vez em quando só pra sonhar.
Ele esperou então ela ficar desprovida da realidade e finalmente cair nos braços do perpétuo sonho; ela, que agora estava envolta do véu que cai sobre todos nós, no despertar da noite.
Ele se aproximou com uma dança folclórica e cantarolou algo baixo em seu ouvido:
"Na noite vislumbrou o céu, vislumbrou o mar e diante da lua, sonhou sob as estrelas..."

Ele fez gestos estranhos com as mãos sobre o rosto da bela, e por fim, abriu as cortinas que estavam fechadas pelo mundo acordado.
Ela se encantou com a dança dele, e como achou bonito o brilho que ele tinha nos olhos deixou que ele a carregasse pelas mãos para além das cortinas. Um pouco antes de se entregar totalmente aos sonhos, ela conseguiu ouvir a voz suave dele lhe dizendo baixinho:
"O céu é sempre mais belo quando se tem alguém ao lado para nos mostrar cada estrela, cada arranjo, cada mosaico brilhante que chamamos de constelação...ele, aquele a quem chama de Apanhador de Estrelas, faz com que elas brilhem mais, para iluminar a avenida das quimeras até seu sonho, onde se pode ver a lua refletida em seu olhar, luz já vinda do mar que brinda no vai-vem de ondas do silêncio velado por ele, para que nada atrapalhe seu sono...que a noite se revele da melhor forma possível pra você.."
Depois disso, ela já quase tragada pelo sono, ainda conseguiu ver ele se afastar de mansinho, voltando para o lugar de onde ela o tirou...dos seus mais doces sonhos.

*Texto escrito por mim, e pelo Apanhador de Estrelas, através de sms trocadas em uma dessas noites em que ele aparece rapidamente para me dar um sorriso..")

Feito de Sonho


Enquanto estava sentada em frente ao mar, ela lembrava dele.
Tentava despistar o pensamento, fazer ele mudar de rumo, mas quanto mais tentava mais lembrava.
Decidiu parar de tentar.
Pediu ao vento que entregasse um abraço a ele.
As amigas fizeram ela esquecer.
Ele então apareceu. Falou uma coisa bonitaquesó pra ela.
O coração dela sorriu...
Ela agora tinha certeza: ele era feito de sonho.

*De 07/11/2009.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Cantarolando...=)


"Ser capitã desse mundo
Poder rodar sem
fronteiras
Viver
um ano em segundos
Não achar
sonhos besteira
Me
encantar com um livro
Que fale sobre a vaidade

Quando mentir for preciso

Poder falar a
verdade..."

*Música: Shimbalaiê/ Maria Gadu

Do que ela queria



Ela queria ter o poder de fazer tudo se resolver num instante, que nem mágica.
Queria não precisar levar tanto tempo pra dormir; não se preocupar com o dia seguinte, com o mês que vem, com o próximo ano...
Queria poder fechar os olhos sem escutar o barulho incessante que vinha da cabeça dela; Queria não sentir uma dor fininha lá dentro do peito, que de uns dias pra cá teimava em aparecer, e que era tão ruim, que fazia ela enxergar tudo em preto e branco.
O pior é que a dor, sempre traz com ela uma lágrima, que insiste em querer cair bem no meio da noite, enquanto ela tenta sonhar.
Ela faz força e luta contra a vontade de expulsar todas as lágrimas de uma vez, porque alguém que ela gostaquesó disse, que toda vez que ela chorar, ele vai deixar de ver uma estrela no céu.
Então ela segura, fica firme e tenta pensar em gente que faz bem ao coração dela, que é pra poder sorrir de novo, porque ela sabe que pode até deixar de ganhar de vez em quando, mas não pode perder o brilho que tem no olhar..

Da solidão que sentiu


Ali, diante da lista, onde não pôde ver seu nome em negrito, ela se viu fraca.
O silêncio da casa doía nos ouvidos dela. Os olhos, agora já marejados, procuraram alguém.
Procura inútil.
Vieram as lágrimas...
Ela chorava porque não tinha conseguido ser boa o suficiente; chorava por ter perdido por tão pouco; chorava porque só precisava de um abraço.
Era sempre nessas horas que ela se via só. Ela era sozinha. Isso doía às vezes.
Alguém a disse uma vez que ela espalhava alegria quando sorria. Ela achou isso bonito, mas não tinha certeza se era verdade.
Como podia espalhar alegria se lá no fundo do coração ela tinha uma ponta de tristeza? Nem sabia.
Agora ela estava ali. Sozinha. Como em todas as outras vezes, querendo alguém que abraçasse ela com força e que disesse, com amor nos olhos, que tudo ia passar.
Ela não tinha ninguém.
Eram somente ela e a dor que vinha do coração.

Eu Escrevo

Porque assim crio asas, e com asas, eu posso alcançar o infinito.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

O Apanhador de Estrelas

Ela lembra que sentiu uma coisa boa na primeira vez em que os olhos dela vislumbraram a figura dele. O sorriso e o olhar sincero que ele dedicou a ela, fizeram com que ela simpatizasse com ele sem precisar fazer força.
No início, ele parecia normal aos olhos dela, mas foi em um dia de sol, enquanto ela se posicionava contra a luz, que ela pôde ver com clareza, o brilho que vinha dele.
Era um brilho intenso e bonito, que ganhava um efeito ainda mais mágico quando se misturava aos raios que vinham lá do céu.
Parecia arco-íris...
E ela foi achando cada vez mais belo o encanto que vinha dele. Um dia, ela percebeu que por onde ele passava, deixava para trás um rastro de estrelas, que quando era espalhado pelo vento, enchia o coração dela de alegria.
Então, pra retribuir, ela fazia magia. Fazia o melhor que podia, só pra tentar colocar um pouco dela no coração dele também.
Todos os dias ele trazia uma estrela e entregava pra ela. Ela não entendia muito bem porque tinha sido escolhida, mas adorava guardar cada um de seus regalos. Guardava-os em uma caixinha de cristal, toda decorada com borboletas coloridas, que ela havia ganhado de um anjo durante um sonho bom.
Guardou todas...até a menorzinha delas.
Gosta de ficar olhando pra elas antes de dormir, porque sabe que assim, quando adormecer, ela pode criar asas que a levem até o apanhador de estrelas, só pra ver se ele gosta de sonhar também.
Ela não sabe por quanto tempo ainda vai ganhar seus presentes, pode ser que um dia eles parem de vir, mas aí ela já vai ser feliz só por saber que em algum lugar do universo, existe um apanhador de estrelas, que um dia buscou uma estrela lá no alto, só pra fazer dela alguém um pouco mais feliz.

*Texto escrito em 06/11/09 e dedicado ao meu querido Apanhador de Estrelas..

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Ela é aquela

''Que apesar dos pesares conserva o bom-humor,
caça nuvens nos ares, crê no bem e no amor.''

*Drummond

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Um vôo..


Se vestiu de azul da cor do céu;
Ganhou asas de borboleta e voou pra bem longe.
Pra um lugar onde ninguém a encontrasse. Um lugar onde só ela sabe onde fica e que nunca encontrou ninguém que fosse capaz de chegar até lá com ela.
Se viu em paz.
Lá, mais perto das estrelas, ela fecha os olhos e deixa que o sonho, que às vezes se fantasia de cometa pra parecer ainda mais bonito, a carregue nas costas.
Nem sabe por quanto tempo ficou por lá, só sabe que sempre que viaja rumo à imensidão, se sente um pouco mais feliz.
Confessa pras estrelas os seus desejos, repara que elas parecem brilhar mais, como se respondessem à ela. É como se lá de cima, ela conseguisse enxergar as coisas de um modo mais simples. E ela gosta mais de ver tudo lá de cima.
Tudo parece mais fácil.
E isso é o que ela deseja, bem lá de dentro do coração.

sábado, 7 de novembro de 2009

Um Beijo

De verdade, só acontece quando o coração de um, sente a real necessidade do coração do outro.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Bem mais perto do céu...


Todos os dias ela acorda e agradece por ter podido encontrar pessoas que enchem os olhos dela de cores. Seus últimos dias têm sido assim: de sorrisos. E ela se esforça pra dar a eles sempre o melhor dela.
Há aqueles pra quem ela leva um sorriso sincero; há aqueles pra quem ela guarda um abraço apertado e há aqueles pra quem ela reserva sua melhor magia, aquela que só ela sabe a fórmula, aquela que ela só oferece a quem conseguiu fazer ela sorrir com o coração.
E é justamente destes que ela vai sentir mais falta.
Ela ainda não sabe se sua magia vai fazer efeito, isso só o tempo vai dizer, mas ela confia na sua alquimia. Ela sabe quando ganha novos amigos. Sabe pelo gosto bom que sente quando conversa com eles. As palavras ganham sabor de doçura.
Um deles consegue ir sempre além. Consegue fazer ela desatar o nó que fecha sua caixinha de segredos. Dessa vez ele descobriu o mais guardado deles, mas tudo bem. Ele só abriu a caixa porque ela deixou. E ela gostou de ver verdade nos olhos dele enquanto conversavam.
Sempre vê.
Ela não entende direito o porque, mas confia nele. "Daria um bom amigo", pensa ela, sempre que lembra que o tempo de sorrisos está chegando ao fim. Ela sabe que dificilmente verá ele de novo, pelo menos por um certo tempo, o que por um lado é até vantajoso, senão ele acabaria levando a caixinha de segredos dela embora, sem ela se dar conta de tamanho assalto...
Ela vai sentir falta das conversas com ele. Vai sentir falta de todos os outros, isso sem falar do apanhador de estrelas.
Ela não sabe se vai ser lembrada, mas sabe que vai ter sempre um pouco de pó de felicidade pra jogar no vento e fazer chegar até eles todas as manhãs, porque gente que faz bem ao coração dela, ela não reconhece pelo tempo, e sim pela sensação boa que sente quando encontra com elas.

sábado, 31 de outubro de 2009

Cantarolando...=)



"Por isso hoje eu acordei
com uma vontade danada
de mandar flores ao delegado
de bater na porta do vizinho
e desejar bom dia
de beijar o português da padaria.."


*Telegrama - Zeca Baleiro

sábado, 24 de outubro de 2009

Justificativas..


Sim, querido blog.
Eu sei.
Não tenho tido muito tempo pra você. Sou uma desnaturada mesmo.
Mas é que tenho andado muito ocupada.
Boas oportunidades apareceram. E eu, sem pensar muito, fui abraçando todas elas.
Não! Eu não te esqueci. Te visitava sempre que tinha um tempinho.
Só que a pressa não me deixava sentar e te contar o que vinha acontecendo.
Tenho que confessar que você tá meio desatualizado.
Muita coisa aconteceu nos últimos dias. Nossas histórias vão ganhar novos personagens..
Apresento sim, um por um. Devagarzinho eles vão aparecer por aqui.
Garanto que vai gostar deles.
Se eu tenho estudado? Não. E isso me pesa na consciência.
Eu sei, é daqui uma semana. Mas não posso mais fazer muita coisa. Faço o que dá. O que tiver de ser, vai ser. Não me desespero. Nem tenho mais idade pra isso.
Tenho que ir agora.
Prometo, não sumo de novo.
E volto voando assim que tiver uma novidade pra te contar.
Bjuh.

domingo, 4 de outubro de 2009

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Fim.


No meio de tantas dúvidas, por muito tempo ele foi a única certeza dela.
O amor que não acabava, que parecia não ter fim, que parecia sempre voltar, por mais distante que estivesse;O amor que os mantia ligados; O amor que ainda dava àquele coração um certo conforto, e, por mais estranho que pudesse parecer para muitos, ainda era ele quem abria o guarda-chuva quando a tempestade teimava em desabar sobre a cabeça dela.
Aquele amor se foi. E dessa vez parece que para sempre.
E no meio de tudo ela se viu sozinha. Procurou ele por todos os lados mas não conseguiu achá-lo. Gritou o mais forte que podia e ele não fez um ruído que fosse...
Pela primeira vez ela estava completamente só.
A história que os dois escreveram com cuidado, teve seu final, que nem de longe lembra os contos de fada. A vida deu uma rasteira nela. E dessa vez, ela caiu de jeito.
Uma nova história começa. Com três personagens....
E ela?
Ela não faz parte do elenco.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Amigo Vento


O vento era seu melhor amigo. Era pra ele que ela contava todos os seus dias.
E embora ela não conseguisse enxergar seu grande companheiro, ela podia sentí-lo em toda sua intensidade.
O vento a tranquilizava de uma forma que ninguém, até hoje, conseguira fazer. Gostava de como ele balançava seus cabelos numa brincadeira que parecia não ter mais fim e de como ele ouvia seus segredos e não contava para mais ninguém.
Era sempre com ele que ela dividia suas alegrias. O mais engraçado, é que ela percebera, que sempre que estava muito feliz ele parecia soprar mais forte, parecia acariciar seu rosto com suavidade, parecia envolvê-la em um abraço único.
A menina tinha no vento o seu grande conselheiro;
Sempre que seu coração parecia pequeno, ela fechava bem forte os olhos e esperava que ele lhe disesse o que fazer, e, com um sopro, ele cochichava devagarzinho ao seu ouvido.
Era ele quem desenhava para ela nas nuvens. Fazia ela sorrir todas as vezes que olhava para o céu e encontrava lá mais um presente de seu melhor amigo.
Alguns dias, ela sentia vontade de ser como ele. De poder soprar em qualquer direção, de poder voar sobre o mar, de poder estar perto de quem ela gostava só para saber como estava seu bem querer.
Mas era aí que ela entristecia, ela não podia ser como o vento.
Grande injustiça, pensava ela.
Mas ela nem se importava muito, porque sabia que tudo que desejasse seu amigo faria. A levaria por todos os lugares, com ele iria até o fundo dos oceanos e ele daria o abraço que ela não poderia dar àquele que mora no coração dela.
Tudo isso aconteceria se ela fizesse só uma coisa: fechasse os olhos e deixasse que ele a levasse...

*Texto dedicado à Isaac Marinho, que ganha todos os dias, abraços meus que são carregados pelo vento...

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Tô zangada


Fica a dica.
E não me pergunte o porquê.
Sabe esses dias em que você acorda com raiva do mundo sem ter muito motivo?
Pois é, hoje é um deles.
Você se irrita porque o trânsito é ruim; porque tá chovendo e você teve que adiar ( forçadamente) aquilo que planejava fazer desde a semana passada; porque o purê de batatas desandou; porque o telefone toca demais ou porque essa crise de rinite não passa nunca; Enfim, tudo é motivo para você querer que o mundo vá para o inferno (como dizia Erasmo).
A culpa deve ser da TPM. Ou então, deve ser mais cômodo pra mim colocar a culpa nos hormônios do que simplesmente admitir que hoje eu tô chataquesó.
É normal acordar de mau humor sem ter motivo de vez em quando ou eu que sou meio estranha mesmo?
Nem sei.
Melhor ficar sozinha do que acabar descontando em alguém o meu momento de instabilidade emocional ( ou de impaciência mesmo!).
Ai..ai..mulher é um bicho complicado mesmo...

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Suplico que...


"E quando eu estiver
Triste
Simplesmente
Me abrace
E quando eu estiver
Louco
Subitamente
Se afaste
E quando eu estiver
Fogo
Suavemente
Se encaixe...

Mas quando eu estiver
Morto
Suplico que não me mate não
Dentro de ti
Dentro de ti..."

*Sutilmente- Skank
**Imagem:google

domingo, 9 de agosto de 2009

Angústia

Uma dor fininha que vem não sei de onde, mas que deixa o coração apertado que só.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Dos Anseios


Vontade de rir e chorar ao mesmo tempo;
De deitar na grama e brincar de descobrir desenho em nuvens.
Vontade de comer brigadeiro com a colher; De dançar ouvindo música alta, e de ler um bom livro; De ganhar um xêro no cangote e um abraço beeeem apertado.
Vontade de rir até não poder mais;
Vontade de ter ele sempre por perto, de viver rodeada de amigos; de ter o colo de "mãe" de vez em quando e de esquecer que tenho 2.5 e brincar na chuva feito criança.
Vontade de fazer um dengo nele, de cantarolar a música que mais gosto, de assistir filme comendo pipoca e de comer sorvete de casquinha.
Vontade de conhcer novos lugares; de aprender coisas novas e de conhecer outras pessoas.
Vontade intensa de ficar em frente ao mar....
Vontade imensa de ser feliz!

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Tu me Manques.


Saudade é quando a gente acorda e fica meio triste porque sabe que nem vai encontrar com ele;
Saudade é quando a gente escuta uma música que faz lembrar dele, e fica com o coração apertado que só...
Saudade é lembrar dos momentos que tivemos juntos e se pegar com um sorriso tímido no canto da boca e um brilho bem escondidinho no olhar;
Saudade é até ganhar alguns abraços de vez em quando, mas sentir uma falta danada daquele que faz a gente se esticar todinha pra poder retribuir..
Saudade de almoçar junto, de comer chocolate e pão de queijo, de conversar, de andar de mãos dadas, de procurar o cheiro da UFC que só ele sente, de receber boa noite, de puxar a orelha, de beliscar o cotovelo e de dar um beijo dentro do ouvido só pra ver ele vermelho de raiva!rs..rs...
Ai..ai...
Saudade arretada dele...

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Crônica do Além de Nós

Esta tarde estava conversando com um amigo pelo msn. Convivemos durante toda a graduação e ele, com toda certeza, é um dos meus melhores amigos. O texto abaixo, é um trecho da nossa conversa....É um desabafo dele, em forma de belas palavras...

"Pablo diz:
...esses dias ando pelas reuvas da UFC e sinto uma densa nostalgia dos áureos tempos acadêmicos... olha o viés poético! kkkkkkkk

Pablo diz:
...a fumaça dos coletivos misturada a atmosfera ardente do conhecimento que paira sobre e sob as árvores... o campus está fisicamente como antes,mas essencialmente só....pois não há mais "nós"...
...passamos juntos, mas idubtavelmente sozinhos...e o campus está lá, forte, com as árvores bem verdes, a brisa do açude...o cheiro e a cor de 5 anos e meio...que agora fica lá e nós ficamos inodoros em nossas rotinas da vida pós academia....que cheiro nós teremos agora? Que brisa vai soprar agora? ......o perturbador e consolador ao mesmo tempo é que depois das leituras e dos pensamentos profundos, quantitativos e qualitativos, o que ficou foi algo q não se mensura ou qualifica assim tão fácil...não estamos mais lá,mas estamos todos dentro de nós...

Júh.. diz:
\o/
vou dar um print
=)

Pablo diz:
...ok...vou enxugar minhas lágrimas...

Júh.. diz:
posso publicar?

Pablo diz:
...publique publique!!!


Não importa quanto tempo se passe...não importa o que faremos daqui em diante..."nós" sempre existiremos dentro de cada um....

Texto e título: Pablo Gordiano

quarta-feira, 15 de julho de 2009

sábado, 11 de julho de 2009

Lembranças dos Cinco Anos

O céu estava limpo. Não havia sinal de chuva. A noite estava quente, porém bela.
Me achei estranha dentro daquela beca, mas acabei me acostumando.
Aos poucos todos foram chegando. A reitoria foi ficando lotada. Sentei no espaço destinado à nós. O primeiro discurso foi emocionante. Os que se seguiram foram todos muito chatos. Todos de pé.
Levantei a mão direita. Jurei. Sou Química Industrial.
....
Foram cinco anos que passaram rápido. Foram cinco anos que me marcaram. Foram cinco anos inesquecíveis.
Não vou esquecer das conversas no corredor. Das músicas na cantina. Dos almoços no RU. Da cochilada à sombra das mangueiras. Das calouradas. Das noites mal dormidas. Da alegria da recompensa em forma de boas notas. Dos professores que ajudaram e dos que fizeram de tudo para atrapalhar. Dos sorrisos. Das lágrimas. Da agonia antes das provas de Físico-Química. Da fila da xerox. Das reuniões do PET. Dos dias divertidos no LCL. Das manhãs engraçadas das aulas de Desenho. Do tormento das aulas de Cálculo e Física. Dos ensinamentos do Professor Belmino. Das aulas de campo de Mineralogia. Das caminhadas sentindo a brisa da lagoa do Pici. Das viagens. Das bagunças. Daqueles que seguiram outros caminhos.
Mas antes de qualquer coisa, não vou esquecer dos amigos. Das pessoas incríveis que conheci durante estes cinco anos de convivência diária. Do jeito intelectual do Pablo. Das incertezas da Cínthia. Da gentileza da Talita. Da elegância da Daniele. Do atraso do Paulim. Da gargalhada da Ingrid ecoando dentro da sala. Do narcizismo do Flávio. E claro, do Amigo Maior de Todos, que me diverte com seu jeito estabanado. Que me faz chorar de tanto rir. Que me enche de preocupação, mas que me conhece como poucos. Como posso esquecer de todos eles?
Não.
Estes cinco anos não acabaram. Foram só um ensaio para o que ainda está por vir.
Então, que se abram as cortinas.
O espetáculo vai começar.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Uma Nuvem de Incertezas

Os dias estão sendo todos iguais. Já não tenho mais aulas para assistir. Vivo de olho no relógio.
Meus melhores amigos estão todos ocupados demais.
Não conversamos mais sobre bobagens na cantina durante o intervalo das aulas.
Não nos reunimos mais para almoçar e rir das imitações do Pablo sobre os professores.
As pessoas me parecem estranhas em um lugar onde já conheci praticamente todo mundo.
O tempo passou. Lá se foram 5 anos. Como pode tudo mudar tão rápido assim? Quem determinou que é o fim? É assim? Acabou? Pronto? Só isso? Onde estão os "louros" da vitória?
Nada. Apenas acabou. Os dias de diversão se foram.
Uma avalanche de possibilidades de repente salta sobre mim e me vejo perdida entre elas. Será que fiz o meu melhor? Será que vou conseguir atingir meus objetivos? A dúvida paira sobre a minha cabeça como uma imensa nuvem de chuva. Pesada..densa..escura..pronta para desabar sobre a minha cabeça a qualquer momento.
Confesso que não sei bem o que fazer. Aliás nenhum de nós sabe muito. Nossas conversas agora, durante as poucas vezes em que nos encontramos (e mesmo assim o grupo nunca está completo) giram sempre em torno da mesma pergunta: E agora?
Não sei ao certo que rumo minha vida vai levar.
Não sei se irei conseguir continuar perto de pessoas que se tornaram importantes e necessárias na minha vida durante esta fase que se encerra.
Não sei de muita coisa.
Mas a graça da vida é essa. Não saber o que vai se encontrar na próxima esquina.
Muita coisa está prestes a acontecer. Sinto isso.
Que venham elas. As boas. As ruins. Todas elas.
Estou aqui. Pago pra ver!

terça-feira, 16 de junho de 2009

terça-feira, 9 de junho de 2009

Do que me lembra você

"...N'importe où dans le monde
Chaque seconde je pense à toi
N'importe où dans le monde
Je suis ton ombre ou que tu sois.."

*Saya – Je Pense à Toi

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Dos Momentos


Embora que sejam poucos e cada vez mais esporádicos
Os momentos que passo ao teu lado enchem de alegria meu coração.
Momentos em que somos apenas nós dois...
Momentos em que teus olhos são só meus...
Momentos em que somente eu escuto o timbre grave da tua voz..
Momentos em que rimos juntos de coisas simples...
Momentos nossos..
Momentos únicos...

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Da Espera


Já faz um bom tempo que Te espero..
Perdida entre a razão
E a imensa vontade de dizer que Te quero.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Sede de Infinito


"O meu mundo não é como dos outros. Quero demais, exijo demais, há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que nem eu mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessimista; Sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade... sei lá de quê."

*Versos de Florbela Espanca.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Sobre Aquela que se Foi

Ela talvez tenha sido a mais fiel das amigas dele.
A única companhia em várias madrugadas.
É uma pena. Era uma linda moçoila de quatro patas.
Sinto muito pelo acontecido, apesar da distância que me encontro dele.
Ele me avisou. Gostei de ter ficado sabendo por ele.
Confesso que tive vontade de abraçá-lo, mas não...um abismo enorme nos separa agora.
Mas com o coração dou a ele o meu sincero abraço.
Que ele fique bem.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Do Cansaço que Sinto

Tenho me sentido cansada.
Ando sentindo o peso de cada grama do meu corpo. Não sei se o que me cansa é a minha rotina ou se o que me deixa tão exausta é a pressão que coloco em cima de mim mesma quando se trata de certos assuntos. Na verdade isso nem importa muito.

Às vezes queria que tudo fosse mais fácil. Queria só fazer o que gostasse. Queria não precisar batalhar tanto para ter tão pouco. Ultimamente, tenho pensado sobre isto. Tem gente por aí que não tem sequer noção da sorte que deu quando escolheu em que fila entrar para nascer, mas isso não vem ao caso agora.

Meus olhos pesam. Nem consigo mais pensar direito. O corpo pede clemência. Coitado dele, foi meio judiado hoje. A correria dessa cidade está acabando comigo, e acho que com o moço que está sentado ao meu lado também, porque ele dorme sem dar importância ao caos em que está inserido.

O trânsito está cada vez pior.Tenho observado as pessoas na volta para casa (fico mais observadora quando estou cansada), elas não trazem sorrisos. Voltam para casa com um olhar meio perdido, talvez pensando nas dificuldades que enfrentaram naquele dia ou nas que terão de enfrentar amanhã. Ninguém olha no rosto de ninguém. As pessoas são indiferentes umas às outras. O "próximo" está cada vez mais distante.

Buzina. Confusão. Poluição. Falta de educação. Gentileza? Ninguém conhece essa moça. Nem o motorista. Arrancou o ônibus antes mesmo que meus pés sentissem a calçada de maneira satisfatória. A senhora que vinha atrás de mim nem conseguiu descer. "Agora só na próxima!" Ainda consegui ouvir o motorista gritar.
Em casa finalmente. O porteiro me deu a correspondência. Nada de novo. Só o de sempre, o trivial. Cansei da minha rotina.
Cansei de tudo...
"Ah, vida real...como é que eu troco de canal?"


domingo, 10 de maio de 2009

AmadO



OLhares
Momentos
SOrrisos
Canções
PalAvras
Perfumes
SauDade
Devaneios do meu coração

quinta-feira, 30 de abril de 2009

O Segredo do Soldadinho


Ali, de longe, o soldadinho de chumbo observava a bailarina.
Seu peito se enchia de felicidade todas as vezes que com ela encontrava. Ele não era corajoso o bastante para dizer a ela tudo que carregava no coração, então, ficava calado, admirando a beleza daquela bailarina que tanto o encantava.

O soldadinho de chumbo sabe que talvez aquela bailarina nunca fosse lhe retribuir o olhar. Afinal, como poderia uma bailarina tão linda se apaixonar por um soldadinho de uma perna só? "Não, ela não olharia para ele de uma forma diferente", concluia o soldadinho.

Ela era graciosa. Tinha lindos olhos. E chamava a atenção de todos. Alguns mais afortunados conseguiam arrancar olhares carinhosos da bailarina, mas ele nunca havia sido notado de uma forma especial.
A bailarina preferia soldadinhos fortes, elegantes e corajosos.

O soldadinho de chumbo sabia que seu amor pela bailarina era verdadeiro, mas não tinha coragem de assumir o que sentia. Preferia ocultar o sentimento à confessá-lo e arriscar perder o pouco que tinha.
"Não suportaria não poder mais nem observá-la de longe", pensava o soldadinho.
Pensando nisso, o soldadinho continuava calado, e continua até hoje.

Todos os dias ele vê a linda bailarina. Seu coração dispara e se enche de alegria por ela lhe oferecer um sorriso amigo, mas sincero. Ele admira a bailarina cada vez mais, e sabe, que talvez ela nunca saiba o que ele carrega no coração. Ele se entristece por não poder tê-la, por não poder expulsar todo o amor de dentro dele e poder entregá-lo a ela, mas talvez assim seja melhor, pensa o soldadinho, talvez aquela linda bailarina tenha cruzado seu caminho apenas para que ele pudesse observá-la de longe...

sábado, 25 de abril de 2009

Só queria


Que por um dia,
Por apenas um dia...
Eu pudesse ser como os lírios...

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Sobre um Antigo Devaneio

Não que ela ainda se iludisse com a tal história. Não. Já fazia muito tempo que ela não esperava mais nada dele. Afinal, dois anos, são dois anos. E se depois de tanto tempo nada aconteceu, por que iria acontecer agora?

Mas a notícia mexeu com ela. É como se a luzinha da esperança fosse acesa em algum lugar.
Ela vê nele pouco do que sempre sonhou. Ele anda longe de ser o tal "príncipe". A sensibilidade não é bem o forte dele. Mas, e daí? Ele é lindo de doer!!!

Aqueles olhos fazem ela se perder. Não deixam ela pensar direito. Ele dá segurança à ela. É inteligente, firme, decidido. A voz grave dele ecoa nas noites em que ainda sonha sozinha que tudo podia ser diferente. .Mas não é. Tudo ainda está como sempre foi.

Será que um dia muda? Ela nem tem mais esse pensamento. Nem tem mais esperança.
Mas a vida dá umas voltas às vezes e vai que em uma dessas ela consegue entrar naquele coração tão fechado..

segunda-feira, 20 de abril de 2009

É como dizia Cazuza...

"Quando a gente conversa
Contando casos besteiras
Tanta coisa em comum
Deixando escapar segredos

E eu nem sei em que hora dizer
Me da um medo ( que medo )

É que eu preciso dizer que eu te amo
Te ganhar ou perder sem engano
É eu preciso dizer que eu te amo
Tanto..."

*Letra da música "Preciso dizer que te amo", de autoria do inigualável Cazuza

sábado, 18 de abril de 2009

Essa Noite


Essa noite sonhei com você.
Você estava por perto.
Podia ver o brilho dos seus olhos..
Sentir seu cheiro, o toque das suas mãos
E calor do seu abraço.

Essa noite sonhei com você.
Podia ouvir o timbre da sua voz..
Podia sentir seus lábios tocando os meus com carinho..
Éramos cúmplices...
Falávamos baixinho.

Essa noite sonhei com você.
Sonho bom..
Que nem quando a gente é criança e não tem nada de importante para se preocupar.
Sonho com gosto de algodão doce...
Que começa docinho, mas que em pouco tempo se desmancha na boca e deixa sempre um gostinho de" quero mais".

Essa noite sonhei com você.
Mas o nosso amor era só sonho...
Era a mais pura ilusão...
Parecia um misto de tudo, que de repente, se transformou em nada..
E o mais estranho de tudo isso..
Era que o tempo todo, eu sonhava acordada.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Uma Chance

Bip..Bip..Bip..
Durante o último ano, este é o único som que ela escuta ao acordar.
O simples ato de inspirar está cada vez mais difícil. Seu tronco dói devido o esforço que faz, mas o alívio parece nunca chegar até os pulmões.
É jovem ainda, mas a dura rotina da vida no hospital e a ingestão de antibióticos cada vez mais fortes, a deixam cada vez mais debilitada. Seus vinte e poucos anos não se fazem visíveis.
Caminha devagar pelo quarto, seu pequeno mundo particular. Pela janela vê as pessoas apressadas, correndo contra o tempo em busca de suas aspirações pessoais.Ela também tem pressa.Ela também corre contra o tempo.Ela busca o direito de continuar viva."Por que?"- ela se questiona."Por mais quanto tempo?"

Correria em uma emergência do outro lado da cidade.A vítima apresenta estado grave. O motorista bêbado, causador do acidente, sofreu escoreações leves.É uma mulher, 48 anos.Dois filhos.
Ao marido,foi dada a notícia fatídica algumas horas depois. Morte cerebral. Em um ato de amor ao próximo, mesmo diante do desespero que o consumia, ele autoriza a doação de órgãos. O cronômetro é acionado.Os minutos são preciosos.
Ela é a primeira na fila de espera. As lágrimas escorreram ao ouvir aquilo que sempre sonhara. Havia um pulmão. Havia uma chance.
No dia seguinte,acordou, sentindo um sopro de vida chegar até os seus pulmões.
Doe órgãos. Dê uma chance para alguém.

Saiba mais em:
http://www.abto.org.br/

http://drauziovarella.ig.com.br/servicos/doacao_orgaos.asp

quinta-feira, 9 de abril de 2009

A Poética do Viver

Viver é sentir pulsar a vida em toda a sua intensidade
Viver é se sentir à vontade para curtir a sua própria liberdade
Viver é saber conviver com o essencial e com a vaidade
Viver é querer sempre mais para alcançar a felicidade

Viver é 'poetizar' da eternidade à finitude
Viver é procurar o amor em sua plenitude
Viver é ser capaz de repensar as atitudes
Viver é acreditar em Deus e em toda sua magnitude

Viver é aprender e ensinar dia após dia
Viver é saber buscar o que se quer com alegria
Viver é entender que tudo isso é poesia
Viver é saber enxergar a vida como uma mistura entre a realidade e a fantasia.

P.S: Os versos acima foram compostos em uma dessas noites de msn com Isaac Marinho, do Textos Perdidos, meu querido 'tamagotchi' =)

Para aquele dos sete anos

Hoje é aniversário dele. Todo mundo dizia que éramos parecidos porque tínhamos datas de nascimento muito próximas, não sei muito se acredito nisso. Todo mundo ainda diz que somos fadados um ao outro, mas também não sei se é realmente isso.

Com ele passei 7 anos da minha vida. Com ele dividi muita coisa. Com ele descobri muito sobre tudo. Crescemos juntos. Rimos juntos. Ele esteve comigo nos dois momentos mais difícieis pelos quais já passei. Com ele sei que posso contar sempre, o tempo passa, mas ele está sempre por perto.

Por ele, acima de tudo, tenho respeito. O carinho ainda é grande, nunca vai deixar de ser. Ainda me faz rir das "besteiras" que fala. Ainda me traz as gostosuras que mais gosto. Ainda lembra muito de mim.

À ele hoje quero dizer Feliz Aniversário. Quero desejar tudo de bom que a mim desejaram ainda esta semana. Quero dar um abraço. E quero pedir desculpas por não ter acreditado nas suas palavras na hora certa (ele nem lembra mais disso, mas eu não esqueço). Dou a ele o melhor de mim, sempre. O melhor para aquele que foi o único grande amor que tive.

Feliz Aniversário.

P.S: TASDVEQ =)

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Ela espera

Ela espera pelas flores
Ela espera pelos amores
Ela espera pelos sabores
Cada uma sabe o que espera
Ela sabe...e continua a esperar.

E de repente

O que antes parecia ser tudo
Foi resumido a praticamente nada..
E é assim que se percebe
O quanto a vida pode ser engraçada.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Menina de 25


Acordei hoje e me vi com 25 anos. E ai? Mudou alguma coisa? Procurei no espelho, olhei de um lado, do outro e nada. Não percebi nada diferente. Acho que comemorar bodas de prata não mudou muita coisa em mim.
Ainda sou a mesma menina meio engraçada que costuma esquecer de algumas coisas. A garota que demonstra demais os sentimentos, que ainda é muito insegura, que adora estar rodeada de gente, mas que também precisa ficar sozinha. Aquela menininha que tem um amor secreto e que volta e meia ainda sonha com um príncipe encantado. A moleca que conseguiu rir mesmo depois de um golpe grande. Aquela que ama os amigos, que não sabe fazer nada de especial (porque seus melhores amigos desenham, criam, compõem e por ai vai) e que gosta de cantar pela casa mesmo sabendo que isto não é bem o seu forte.
Queria que o tempo já não passasse tão depressa. Queria que tudo fosse simples e fácil como costumava ser quando tinha 10 anos. Mas já não é assim.
Eu cresci. Pelo menos é o que minha idade diz. Mas meu meu coração ainda não. Ainda me sinto meio menina. Ainda sou muito moleca, mas será que não é melhor ser assim?
Gosto de ser meio menina. Gosto do meu lado meio mulher. Acho que convivo bem com os dois. Só não sei até quando vou conseguir mantê-los. Mas isso é outra história. Por enquanto, tô bem assim.
Agradeço a todos os amigos que a mim dedicaram um sorriso, um abraço, um minuto do seu tempo para me enviarem scraps, sms, para me ligarem. Agradeço aqueles que foram a minha casa, que me desejaram coisas boas, bençãos, enfim..tudo de bom que a mim foi ofertado.
Agora vou esperar para ver o que os 25 me reservam, será que terei boas surpresas? Bem, isso só o tempo vai me dizer.
Era isso!
=)

P.S: Ganhei um presente de aniversário diferente e que adorei!! O link tá ai em baixo é só dar uma olhada e se alguém quiser deixar algo lá pra mim, ainda tá em tempo!!! =)
http://lovojubas.areadetestes.comoj.com/